casa nogueira · moradia unifamiliar

Um terreno agrícola no limite do Concelho de Alenquer com vista para o vale que envolve a Arruda dos Vinhos, distrito de Lisboa. Uma paisagem quase virgem, sem infraestruturas, onde existia apenas um acesso agrícola que entretanto seria substituído. Confrontado por outros lotes com as mesmas características mas limitado abruptamente por uma falésia a Sul e Nascente numa situação particular de “promontório”.
A construção de uma casa num lugar com estas características não seria simples e a sua localização no terreno era uma decisão importante. Expondo-se visualmente em toda a sua frente Sul, a opção foi implantar a casa com o cuidado de não perturbar a paisagem serrana, afastá-la da falésia, orientá-la favoravelmente em relação à exposição solar e protege-la dos ventos fortes predominantes de Norte.
As condições de acesso e consequentes infraestruturas de água e electricidade foram alteradas com a construção de uma nova via pavimentada em gravilha. Apesar deste início de ‘urbanidade’ não podíamos limitar o terreno com muros que pudessem comprometer esta paisagem tão especial. Assim, optámos por uma vedação de arame com estacas de madeira que com o tempo viria a ser coberta com sebes ou com a vegetação serrana presente no local e permitia também vedar a falésia por questões de segurança.
O programa funcional determinava uma casa para uma família com dois filhos, um escritório, uma garagem coberta e uma piscina.
A proposta apresenta dois volumes colocados sobre um embasamento que assegura o desnível do terreno no sentido longitudinal, prolongando-se estes em espaços exteriores que privilegiam a vista devido à sua cota mais elevada. Os dois volumes compreendem a área social e privada da casa e são divididos por um vestíbulo que anuncia o acesso principal e assegura a circulação entre os diferentes compartimentos. O piso de embasamento contém a garagem e todas as áreas técnicas e de apoio da casa e da piscina. No exterior a piscina e uma pequena zona relvada ficam protegidas do vento forte constante com o prolongamento dos muros do embasamento.
A paisagem, mas também a dimensão do terreno, levou-nos a preservar o carácter do lugar, a sua morfologia e espécies vegetativas autóctones. A estruturação de acessos, caminhos, clareiras e miradouros, introduzem o desenho de suporte para o abrigo do homem, a sua habitação.

arquitectura e design: Susana Catarino / Hugo Azevedo

cliente: Jorge Nogueira

localização: Cabeços, Santana da Carnota, Alenquer

colaboração: Ricardo Santos

projecto: 2003

construção: 2010

área do terreno: 8500 m2

área de implantação: 290 m2